Projeto de Eduardo Girão quer dificultar o aborto

No texto, senador diz acreditar que esta é a vontade da maioria da população brasileira, cristã e que reprova a prática do aborto

0

A pena para a pessoa que auxilia uma gestante a provocar o abordo poderá ser elevada, e ampliada ainda mais se esse auxiliar for o pai do feto. É o que determina o projeto de Lei (PL/55/2019), apresentado pelo senador Eduardo Girão (Pode-CE).

Pela lei atual, qualquer terceiro que provoque o aborto com o consentimento da gestante pode ser condenado à pena de reclusão de 1 a 4 anos. Girão quer que a responsabilização por esse auxílio salte para 2 a 6 anos de prisão.

Propaganda interna redes sociais

No texto, o senador diz acreditar que esta é a vontade da maioria da população brasileira, cristã e que reprova a prática do aborto. Para ele, a pena atual, de 1 a 4 anos de reclusão, não simboliza a gravidade do delito. A proposta aguarda análise na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), onde receberá decisão terminativa.

Fonte: Site Miséria