Malas com dólares e relógios de luxo são apreendidas com filho de ditador africano em aeroporto de SP

Delegação chegou em aeronave do governo ao aeroporto de Campinas (SP), mas não estava em missão oficial. Foram apreendidos em uma mala US$ 1,4 milhão e R$ 55 mil. Em outra mala, cerca de 20 relógios avaliados em US$ 15 milhões

0

Agentes da Polícia Federal e da Receita Federal aprenderam US$ 1,4 milhão e R$ 55 mil em dinheiro, e cerca de 20 relógios avaliados em US$ 15 milhões com membros de uma comitiva da Guiné Equatorial que chegou ao Brasil nesta sexta-feira (14), no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP). O vice-presidente do país, Teodoro Obiang Mang, estava no voo.

O dinheiro e os relógios estavam em duas malas. Mais cedo uma fonte da Polícia Federal havia informado ao G1 e à EPTV, que a estimativa era de que a comitiva transportasse US$ 50 milhões em dinheiro e joias. No total, a delegação carregava 19 malas, além da bagagem diplomática.

A Polícia Federal informou que o caso está sob sigilo diplomático. A Receita Federal não comenta o caso. Em nota, o Itamaraty confirma que “se manteve em permanente coordenação com a Receita Federal e a Polícia Federal no acompanhamento do caso, mas não se manifestará sobre o assunto.”

A reportagem também tem tentado contado desde a noite de sexta-feira com a embaixada do Brasil na Guiné Equatorial, sem sucesso.

Uma equipe da EPTV registrou o momento em que integrantes da delegação foram levados para prestar esclarecimentos às autoridades brasileiras.

De acordo com informações obtidas pelo G1, o avião, pertencente ao governo da Guiné Equatorial, chegou a Viracopos na sexta-feira à tarde vindo de Malabo, capital do país. Além do vice-presidente do país, 10 pessoas estavam a bordo.

Embora trouxesse uma autoridade do governo do país africano, o voo não era uma missão diplomática oficial.