Artigo Dr. Lucio telmo

0

Ao residir definitivamente em Aracati, recebi com extrema alegria o convite

para colaborar com alguns textos e opiniões neste jornal, que possui na minha pessoa,

sem dúvida, um dos seus maiores incentivadores. E assim o fiz desde meados de 2015,

apenas com uma breve interrupção, até a presente edição que se propõe a ser a

derradeira neste atual formato.

 

Meio que a contragosto, recebi do valente amigo Roberto Oliveira a

incumbência de escrever o que seria o meu último artigo na Folha de Aracati, do modo

como chega ao seu leitor, de forma impressa, com cheiro de jornal, palpável, que pode

servir de retrato da nossa história.

 

Em suas 135 edições, em pouco mais de cinco anos, a Folha de Aracati se

faz imprescindível para os arquivos públicos que contarão aos curiosos das novas

Propaganda interna redes sociais

gerações o muito que temos vivenciado nos conturbados dias atuais.

 

Não é fácil manter numa cidade que se desacostumou ao saudável hábito da

leitura um periódico desta qualidade e custo operacional, num perigoso momento em

que imperam o imediatismo da informação das redes sociais e suas fake news.

 

O jornalista Roberto me prometeu ainda não tirar o jornal definitivamente

de cena. Deve migrar para a internet, assim como as lojas de discos viraram aplicativos

de celular e os filmes das locadoras migraram para o netflix.

 

Sinal dos tempos que incomodam tanto os amantes de uma época de ouro,

que não existe mais, a não ser na arquitetura da Rua Grande. Seriam novos tempos?

Prefiro acreditar que sim, que nem na canção de Ivan Lins e Vitor Martins: “um novo

tempo, apesar dos castigos”.