Após álbum instrumental, a banda Música de Selvagem adere à canção alheia em EP

0

Originário de dupla que entrou em cena em 2013, quando os músicos Arthur Decloedt e Filipe Nader voltaram ao Brasil após quase sete anos na Europa, o grupo paulistano Música de Selvagem adere às canções em Volume único, EP com quatro músicas cujo lançamento está programado para 28 de maio no Brasil e na Europa.

O disco marca guinada em carreira fonográfica iniciada há dois anos com a edição, em abril de 2016, do álbum inteiramente instrumental Música de Selvagem pelo selo belga El Negocito Records. O grupo é formado por cinco músicos – Amílcar Rodrigues (trompete e eufônio), Arthur Decloedt (contrabaixo), Filipe Nader (saxofones alto e barítono), Guilherme Marques (bateria) e Oscar Ferreira (sax barítono), vistos na foto de Gabriel Basile – que são respeitados pelo virtuosismo em nichos da música indiedo Brasil e da Europa.

Folha Banner

Além de alguns integrantes tocarem em coletivos paulistanos como Bixiga 70 e Trupe Chá de Boldo, eles acompanham nomes como a cantora Alzira E e o grupo O Terno em shows. Não por acaso, uma das quatro músicas do EP Volume único é O morto (Tim Bernardes, 2012), lançada há seis anos no primeiro álbum do Terno, 66 (2012). Tim reaviva O morto no EP do Música de Selvagem.

Capa do EP 'Volume único', da banda Música de Selvagem (Foto: Divulgação)

Capa do EP ‘Volume único’, da banda Música de Selvagem (Foto: Divulgação)

Também convidado de Volume único, Pedro Pastoriz (do grupo Mustache e os Apaches) refaz Assovio – música que lançou no autoral álbum solo Projeções (2016) – enquanto Luzia Lian participa de Dois blocos, faixa em que o Música de Selvagem aglutina duas músicas, Cadeira e Tem luz, do álbum de Lian Oyá tempo (2017). A única música inédita dentre o lote de composições do EP é a canção intitulada Música, composta e cantada por Sessa.

Com som feito na pressão, com todo o peso instrumental do Música de Selvagem, o EP Volume único foi gravado, mixado e masterizado por Gui Jesus Toledo com a missão de fundir o improviso que caracteriza o som livre do grupo com o trabalho autoral desses jovens artistas da cena independente da cidade de São Paulo (SP).

Gravado com direção musical, arranjos e produção de Arthur Delcoedt e Filipe Nader, o EP Volume único será lançado no Brasil pelo selo Risco e na Europa pelo selo Shhpuma.

Fonte: G1